Milestone de Fevereiro: Certificação SSL Renovada Após Rebuild

Posso dizer que ainda não dominei o método de certificação SSL, continuo tendo muita dificuldade em algumas etapas, principalmente a renovação automática e a configuração de virtual hosts do Apache.

Após o rebuild do meu servidor principal (veja post com mais detalhes) obtive sucesso nas novas configurações para renovação dos certificados utilizando certbot. Assim, foi renovado os nossos certificados, e muitos usuários que haviam tido problemas em acessar todos os nossos sites, passaram a conseguir acessá-los novamente.

Um bug de configuração foi identificado no servidor antigo, pois havia mais de um diretório com configurações do Apache SSL e virtual hosts, fazendo com que o servidor não conseguisse entregar os arquivos certos para navegador e a certificadora.

Centralizamos todas as configurações do Apache e instalamos o servidor principal com docker, fizemos o rebuild e a nova instalação do certbot para poder resolver esse problema e assim permitir a navegação segura para os nossos usuários novamente. Sei que ainda terei alguns problemas pela frente, como a renovação automática, então, por hora a navegação está garantida e o esforço de rebuild e recertificação valeu a pena.

Milestone de Março: Rebuild do Servidor de Produção

Foi feita a reconstrução (rebuild) do nosso servidor de produção, uma operação bastante delicada e arriscada. Após muito tempo dependendo de um esquema antigo e repleto de manutenções feitas sem planejamento, aproveitamos a janela de oportunidade para migrar totalmente nossa operação para o docker.

Assim, comecei a reconstrução com o servidor local de desenvolvimento, tarefa que levou meses, para só depois atuar em produção. Inicialmente, para não cair o serviço, havia planejado fazer um servidor em paralelo com todas as aplicações, porém, durante o processo, houve um comprometimento crucial dos serviços no servidor em produção, pela expiração dos certificados SSL.

Assim, seria um desperdício de tempo trabalhar em dois servidores em produção e abandonei o plano inicial, pois o serviço já havia caído. Então, destruí o antigo servidor em produção e todo o esquema que estava corrompido, para dar lugar ao novo esquema baseado em docker linux WordPress, Apache e MySQL.

Com a reconstrução terminei a implantação de uma nova esteira de desenvolvimento e deploy automatizado. Com isso voltei a ter mais controle sobre o processo de desenvolvimento e entrega.

Acredito em um futuro mais automatizado e mais “simples” para fazer entregas, sabemos que existem algumas dificuldades com a estrutura que foi desenvolvida, como versionamento de todos os sistemas em conjunto. Trabalhamos com um repositório principal e diversos submódulos, técnica a qual ainda não domino completamente.

O espaço em disco foi economizado e os processos de utilização de CPU e memória obtiveram ganho de desempenho. Assim em 2020 temos um novo servidor em produção baseado em Ubuntu e não mais em CentOS, mais uma dificuldade que foi superada.

F5 Sites Diretrizes de Design

Em nossa primeira tentativa de uniformizar o designs de todos nossos projetos, fazendo os terem uma aparência semelhante, como quando você está em um produto Google, Amazon, Microsoft ou Apple, você meio que sabe, mesmo que você não saiba exatamente porque você sabe, você meio que sente como se estivesse em “casa”. Isso porque eles têm um design consistente com algumas regras que orientam todos os produtos.

Então, a F5 Sites começou a desenvolver nossas primeiras diretrizes de design, elas começaram de forma simples, mas achamos que as regras se tornarão mais ajustáveis e melhores com o passar do tempo, então nossas primeiras diretrizes de design são:

  • Barra no topo de todos os produtos
  • Fonte para logo: Lobster
  • Cores:
    • F5 azul: #03659c
    • F5 azul claro: #549ed1
    • Ubuntu laranja: #FF5919
    • Cinza escuro: #3F3F3F
    • Cinza médio: #888888
    • Cinza claro: #EEEEEE
    • Verde escuro: #398439
    • Verde claro: #449d44
    • Dourado: #E2D693
  • Imagens customizadas para posts e produtos

Por enquanto isso é tudo, no futuro estamos prevendo paddings e margens para alguns elementos. Estas regras serão aplicados em produtos antigos sempre que eu puder, pois agora elas apenas existem e estão sendo implementados sem um prazo, mas nada de novo será desenvolvido sem seguir esse rigor.

Novo Plugin em Desenvolvimento: F5 Sites Smart Language Filter

Depois de toneladas de testes e experiências, com os plugins de idiomas mais famosos e atualizados para o WordPress, eu iniciei um plugin para F5 Sites e Fnetwork. Baseado em um código simples mas eficiente que fiz para um tema de projeto (Sistema Focalizador Javascript). Tudo o que eu tive que fazer é usar tags em posts, como:

  • lang-en: portugues
  • lang-pt: portugues
  • lang-fr: francês
  • lang-zn: chinês
  • E assim por diante…

O termo “inteligente” no nome é porque ele usa um algoritmo baseado no WooCommerce Geocode e na função HTTP para determinar a localização dos usuários e fornecer a linguagem provavelmente mais correta. Então, vamos fechar nossos domínios que começam com br, como br.f5sites.com e br.franciscomat.com, porque sempre que você estiver em uma localização, o domínio principal fornecerá conteúdo para você em seu idioma.

O plugin estará presente em toda a rede, ele será anexado a outro plugin que usamos F5 Sites Footer Bar, então todos os sites terão opções de tradução. Os usuários também terão a opção de alterar o idioma a qualquer momento, e se ele aparecer em um link que não tenha o idioma que os usuários falaram, um aviso será anexado para alterar o idioma a qualquer momento.

O plugin está em desenvolvimento e não tem prazo para ser finalizado, é um esforço que faço para alcançar melhores resultados em marketing e conquistar novos clientes.